Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
19/04/21 às 18h36 - Atualizado em 19/04/21 às 19h19

Investimentos no DF até 2022, garante secretário de Economia

COMPARTILHAR

André Clemente falou ao CB Poder sobre o que o GDF tem feito para amenizar os impactos da pandemia

 

Em entrevista ao CB Poder, programa do Correio Braziliense e da TV Brasília, o secretário de Economia, André Clemente, garantiu que os investimentos em obras continuam no Distrito Federal até 2022. A entrevista foi concedida nesta segunda-feira (19) e está disponível no Facebook do Correio Braziliense (link).

 

André Clemente lembrou que, em 2020, o Governo do Distrito Federal (GDF) se mostrou preparado e apresentou números positivos na arrecadação, mantendo a qualidade nos gastos, mesmo com a pandemia da Covid-19. Além disso, com investimentos e incentivos fiscais, foram atraídas para o DF 14 grandes empresas, gerando mais empregos e maior arrecadação de impostos.

 

“Nós sabemos que, em breve, retomaremos o ritmo da atividade econômica. Por isso, o DF não parou. Temos obras em andamento, pagamentos em dia de servidores e fornecedores, além de incentivos fiscais. Precisamos cuidar de quem precisa. Os micros e pequenos empresários são responsáveis por grande parte das contratações”, detalhou. O secretário de Economia destacou ainda as ações de apoio ao setor produtivo, como a prorrogação do IPTU para setores mais afetados pela pandemia e a remissão e isenção da taxa de preço público, que beneficiaram várias empresas.

 

André Clemente falou ainda do Refis 2020, o Programa de Incentivo à Regularização Fiscal que renegociou mais de R$ 3 bilhões. Foi a edição mais arrojada do programa, que auxiliou pessoas físicas e jurídicas a regularizarem sua situação fiscal.

 

Ao longo da entrevista, o secretário destacou que o foco do governo no atual momento é cuidar da saúde da população. Por isso, estão sendo realizados investimentos na construção de hospitais e na contratação de profissionais para atuar na linha de frente das áreas de Saúde, Segurança e Assistência Social. Até o momento, foram mais de 9 mil servidores nomeados nessas áreas. “Cuidando da saúde, temos mais segurança para flexibilizar o comércio e retomar a atividade econômica. Nossa prioridade é a vacina, cuidar da população e, na sequência, da economia”.

 

Quando questionado pelo jornalista Alexandre de Paula sobre o impacto dos auxílios emergenciais nos cofres do GDF, Clemente lembrou que a transferência de recursos beneficia a própria economia do estado. “Quando as pessoas recebem os recursos, elas consomem, garantindo que os estabelecimentos sigam funcionando, o que também vai gerar mais impostos”, detalhou.

 

O secretário de Economia ressaltou ainda que a situação econômica se manteve equilibrada em 2020, mas neste ano está sendo constantemente avaliada. “Nós precisamos avaliar a cada dia. As ações de 2020 podem não servir para 2021. No ano passado, nosso governo, com o apoio da Secretaria de Comunicação, conscientizou a população e tivemos uma inadimplência muito baixa, mantendo IPTU e IPVA em dia. Mas não sabemos como será neste ano”, lembrou.

 

No primeiro ano da pandemia, o GDF manteve o gasto público. Em 2021, as obras e investimentos vão continuar no DF, além da realização de concursos públicos. “As obras geram muitos empregos e mudam a cara da cidade. São obras importantíssimas que proporcionam qualidade de vida para a população. Isso incentiva o investimento e retroalimenta a economia. Com isso, todos crescem”, detalhou André Clemente.

 

Sobre concursos públicos, o secretário destacou que estão em andamento certames para a contratação de mais servidores. “Temos de preparar o Estado para o pós-pandemia. Se a cidade cresce, precisamos de gente para atender bem à população”, concluiu.